OS POSITIVOS

call it quits

Este vosso city rat, country-born (not-bred) encontrou outros quatro hectares de superfície do planeta onde talvez pudesse ser feliz. Toda a propriedade já cercada para manter a realidade fora de vista e longe do coração, isolada as fuck, goes sem sayin', e tem até parte de um pinhal para acampar quem chega sem anunciar ou não está domesticado ao indoors. Sobretudo, um anexo agrícola generoso para finalmente montar estúdio e desempacotar toda a merda acumulada-embrulhada (igual metafórico).

tha office?

E depois o resto: mais uma razão para subir e descer estradas perdidas dum país esquecido, e mais trilhos por todas as direções do que poderíamos fazer num qualquer fds em duas rodinhas sem motor. A ausência de vizinhos significa música a toda a hora, cinema outdoors com noites de terror, todas as noites, e até uma piscina para os pequeno-burgueses. Ponto de encontro para hooligans, convidaríamos cómicos para residências artísticas de verão — devemos-lhes pelos abusos, passados e futuros —, fim de season todos kickados aos seus afazeres e abraçamos o nosso eremitismo em toda a sua glória com sentido de missão cumprida no cultivo de um certo tipo de cultura. Anyhoos, esse é o sales pitch que nos repetimos para puxar o gatilho. Um cliché, sabemos, mas queremos sair de cena, mais cedo do que tarde. Faltam-nos apenas subir uns quantos graus na escala do anti-social, ou descer o preço a pagar (igual metafórico).