OS POSITIVOS

distantes da rua

Desculpem conspurcar as vossas quarentenas, apenas um desabafo enquanto as modas o permitem. Hey, até o relógio estragado está certo duas vezes ao dia...?

As autoridades públicas nacionais definiram directrizes de distanciamento social e isolamento.

Distanciamento social? Senhores...

Depois de uma vida inteira a ser massacrados com acusações ao nosso feitio e hábitos anti-sociais acordamos para uma realidade onde todos se esforçam por conseguir o que nos é natural e reprovável o seu contrário? Por mais estranhos que possam ser os vossos últimos dias, nada comparado à nossa estupefacção. Por todo o lado puffpieces de “how tos”, publicam-se manuais, os media bombardeiam alertas e educam as massas nos comportamentos aceitáveis, os que não o querem têm que, com o próprio Estado com E grande forçado a Estados de Emergência para obrigá-los ao que sempre fomos.

Fechados sobre os mais próximos e longe dos demais, sem vontade para caras novas, gravitamos para os sítios mais vazios, sentamos-nos nos lugares mais afastados, tentamos nas horas mais infrequentes, e o melhor de tudo é quando tudo acaba – não ficamos para o fim, aparecemos quando os outros já se foram. Os que lá estão sabem-no, e quem nos faz caretas aproveite agora para andar a mile in our shoes enquanto é legal: passeiem as ruas vazias, talvez descubram algo nesses espaços quando outros dormem – também fizemos uma vida inteira nessas horas.

E se fossemos animais sociais, teríamos mesmo escolhido a bd? Win-win (*) para todos.

*) Opiniões dividem-se...

t/n/r