OS POSITIVOS

idade da inocência

começa-se de campos férteis em possibilidades, adiante dá-se a vez aos penedos

As faixas mais jovens revelam maior afastamento das notícias e, em particular, os menos instruídos, e estas condições podem estar a contribuir para a polarização da sociedade.
in "Jovens portugueses entre 25 e 34 anos são os que menos confiam nas notícias " 15 mai 2024

Que os jovens portugueses entre os 25 e 34 anos evitem activamente o consumo de notícias ou as acompanhem com perda de interesse, recuperando-o com a age to come e velhice, dá-se a comparação fácil: esses jovens também não seguem com especial cuidado planos poupança-reforma, taxas de juro, oportunidades de investimento etc pela simples razão que não possuem o capital para entrar nesse mercado. Embora os jornais tratem de informar sobre o seu país, são enviesados de agendas que lhes são tão relevantes como plenários camarários no ordenamento de território quando já estão no avião para outras paragens. Se os jovens, essa espécie, naturalmente encontra outras formas de informação, más más boas ou más, não será exclusivamente por falha de carácter ou má formação. Um individuo pode ser palerma e tomar más decisões, um grupo imenso de indivíduos tende a nivelar palermices e avançar para onde mais vantajoso ao grupo. São as redes sociais um antro de mediocridade & desinformação? Sim. E mesmo assim os putos preferem-no à imprensa.