OS POSITIVOS

menos mais

Aproveitemos os poucos dias que nos restam sem novo governo indigitado & subsequente indignação geral em pausa para introspeção: como nos têm governado? Pela vontade do povo como anunciado na embalagem, ou de refreio à dita? Sentem dos vossos governantes um “conta-me mais” ou mais um “fala-me menos”?

Cruzemos tendências passadas — como em, muito idas, desde bem lá de trás. Ou, todas as conhecidas da História registada: a lição tem sido consistente. Quem governa, fá-lo em consonância com aqueles que têm mais posses, agravando todos os outros. Porque a lógica da acumulação de riquezas é a da exclusão exponencial, quanto mais os cada vez menos têm, muitos mais têm cada vez menos. Finalmente o insustentável gera o conflicto, mais ou menos mediado, mais ou menos (des)ordeiro, e uma nova ordem reinicia o processo. Cabe-vos perceber em que parte da curva estão: ainda a subir ou já a descer? São ciclos, capturados na repetição de mais do mesmo.

repetição