OS POSITIVOS

« uma das maiores ameaças à vida na Terra é a poesia »

Monbiot ainda, com um humor que podemos relacionar. Pelo final do seu livro o autor recupera exemplos da tradição revivalista-ingénua bucólica que se estende de tempos imemoriais (exercício de re-imaginação de eras volvidas, raramente contemporaneidades do poeta que as declama) para demonstrar como "a fantasia pastoral se mistura com o mundo real", chocando "virtude e simplicidade" com "a corrupção da cidade", histórias "que a civilização urbana conta contra si mesma sem qualquer vislumbre de inquietação", uma "tentativa de criar um mundo ideal no qual, paradoxalmente, as estuturas de poder existentes eram frequentemente valorizadas e celebradas". Como demonstrado ao longo do livro, "o campo não é inocente nem puro", e este diss à poesia serve-nos propósito maior (*) Mas fá-lo-íamos mesmo que nada acrescentasse: P+: we don't rhyme, we just whine bitch'bout it.: ideais tão assumidos que não se questionam. Notamos –  mas reservamos opiniões à sua observação  –  que "numa disputa entre o poder económico e poder cultural, o cultural vence", e expomos dele à vossa: metáforas, a raiz do problema.

Uma metáfora de raiz é uma ideia tão profundamente enraizada na nossa mente que nos molda o entendimento e nos afecta as preferências sem o nosso conhecimento consciente. Quando encontramos algo que se alinha com uma metáfora de raiz, pode-se gerar uma sensação de conforto. Quando encontramos algo que entra em conflito com uma metáfora de raiz, podem desencadear-se a confusão, a raiva, e a dissonância cognitiva.
George Monbiot in "Regenesis" 2023

Apliquem a generalidades como "democracia", especificidades como "jornalismo", qualquer vaca sagrada que tenham a pasto nos vossos campos, tão obviamente destinada ao matadouro num qualquer conglomerado internacional da indústria da carne. Mas insistam que não, a vossa vaca é orgânica. A vossa vaca é ideal. A vossa vaca é a diferença entre humanidade e barbaridade. Metáforas-metáforas-meta-foras: "devemos substituir as fábulas esgotadas e infundadas que nos prendem à destruição pelas revelações novas e fundadas que poderiam libertar as nossas mentes."

esgota