OS POSITIVOS

dual

The words people use expose the way they think, and what powerful, illuminating, horrible words these are.
"As the saying goes, all press is good press. Or is it?" 08 abr 2021

Uma peça carregada de elogios ao "Mishima: Manifesto De Laminas" de Tiago Manuel por poisos internacionais — tão good vibes que até deixou escorregar um shout out à editora, "Portugal’s premier purveyor of all things artistically avant-garde, Chili Com Carne" 7 abr 2021 — dá-nos o mote para o tema de hoje com um cite sumarento, o "the medium is the message here, but the messages are as much in conflict with one another as they are conversation". Porque este meio é dado ao conflicto, poucas ligações ao lado no Comics Journal rasgam um novo ao Ted Rall 6 abr 2021 para início de conversa. Assim começa, "Ted Rall is one of the world’s most incompetent cartoonists", assim acaba "the Stringer is another impressive low point in a career composed of little else". O zeitgeist sempre fornece, e se BD não é a vossa preferência conseguimos iguais propósitos misturando outras metáforas de vida, os media. Já tivemos oportunidade de nos demorar longamente no Ted na relação ao jornalismo, e dessa seguimos.

Ted Rall knows nothing about journalism, just as he knows nothing about anything.

We really do need journalists. The collapse of the profession is a tragedy. But it’s not a tragedy because war correspondents are deadly super-spies just waiting to be triggered by economic anxiety. Instead, we need journalists mostly to do the tedious work of keeping a day-to-day eye on things—reporting on what city councils are doing, explaining legislation, keeping track of police abusing their power, and yes, informing the public about what’s happening in the rest of the world.
in "The Stringer" 6 abr 2021

Sorte com isso de convencer futuros jornalistas à profissão sem adoçarem um pouco aquela descrição ou caírem no "exciting bastion of super-machismo and danger" 6 abr 2021 do extremo oposto. Essa apetência à imprensa aggro parece ser um requisito indispensável entre os nossos locais, segway ao próximo conflicto a comparar do bravado nacional que reportam no Expresso:

Como é que os extremistas (não confundir com radicais) descobriram esta técnica? Não descobrindo coisa alguma. Limitaram-se a aproveitar as regras impostas pela comunicação social.

Leio na imprensa de referência e oiço nos espaços de comentário televisivo um enorme incómodo com a polarização da política e da sociedade. Mas foi a lógica concorrencial dos media [...] que tornou este discurso mais apetecível para quem queira ter algum sucesso mediático. Foi a comunicação social mainstream que alimentou o debate polarizado e deu valor comercial à afirmação chocante.
in "Quer saber como se polariza o debate? Leia títulos de jornais" 7 abr 2021

(sem ligação ou identificação porque o lemos em republish (*) E como um António Guerreiro que nos recordou em teor e escusa de simplificações (como os populistas no sentido popularizado), fechado atrás de paywall: that's a no-go. alheio)

...e uma outra publicada no mesmo dia por George Monbiot onde se aponta dedo à tradição demasiado subserviente destituída de qualquer verve política da BBC para produzir documentários dum planeta azul nos quais omite regularmente os principais agentes da sua destruição, vírgula algures. Caso afogado: as ameaças aos oceanos sem nunca mencionar a indústria pesqueira, principal prevaricadora, substituída por um sem número de miudezas alternativas, como palhinhas de plástico, cotonetes, copos descartáveis e outras vilanias de entreter as massas a limpar praias e consciências.

It’s as if you were to make a film about climate breakdown without revealing the role of fossil fuel companies.

They are symptomatic of a disease that afflicts most of the media, most of the time: a phobia about confronting power.
in "Seaspiracy shows why we must treat fish not as seafood, but as wildlife" 7 abr 2021

Comix, jornas, temos deixa para mais amores de estimação a exemplo neste longo teaser? Senhores..., OS POSITIVOS transbordam de amor à causa e está tudo ligado! Do medo de afrontar o poder é apenas um pequeno salto ao maior absurdo de todos, um que sociólogos, politólogos e outros que lhes rimam não têm dificuldade em reconhecer na origem da esquizofrenia que a todos nos aflige nesta nossa sociedade pós-moderna: contradições do $$$.

The central premise of neoliberalism is that the locus of decision-making can be shifted from democratic government to the individual, working through “the market”. Rather than using politics to change the world for the better, we can do it through our purchases. If neoliberals even half-believed this nonsense, you’d expect them to ensure we were as knowledgable as possible, so that we could exercise effective decision-making in their great consumer democracy. Instead, the media keeps us in a state of almost total ignorance about the impacts of our consumption.
in "Seaspiracy shows why we must treat fish not as seafood, but as wildlife" 7 abr 2021

Diz-que-não... Talvez possamos assim perdoar o Rall na sua "revenge empowerment fantasy for disgruntled reporters", "increasingly bitter and angry with the poverty wages and callous bosses who demand kitten content" 6 abr 2021. Conhecem-nos a máxima, conhecem-nos o adágio to bite tha hand tha feeds. O caveat a fazer? O "you’d expect them to" que o Monbiot lamenta: frustemos igualmente as expectativas, recordem-se de Yukio Mishima nas consequências de se ser consequente,

Taken to its natural conclusions, his death by his own hand the only fitting capstone to a life that basically demanded nothing less for its final act.
in "Eurocomics Spotlight : Tiago Manuel’s 'Mishima : Manifesto De Laminas'" 7 abr 202

...e escolham antes lutar mais um dia. Choquemos fronhas por mais um milhão de opostos conflituosos, abracemos as contradições que nos obrigam a navegar e que não vos podemos resumir bonito, bonitinho, em sugestões selvagens de leituras salpicadas num só post, uns quantos zines, umas duas décadas de diatribes online. Shiiit, até pode ser que lhe descubram algum prazer.

Deciphering its meaning, its purpose, and its repercussions and ramifications is an ongoing and ever-evolving process that, if you’re not careful, may just tell you more about yourself than it does anything else.
in "Eurocomics Spotlight : Tiago Manuel’s 'Mishima : Manifesto De Laminas'" 7 abr 202

E porque não há contradição sem incoerência, fechamos pensamentos do dia com uma linha recente do Kevin Bacon (de quem já abusámos os três graus de separação no passado no nosso shout out ao também editor da Chilli) para despedidas em conflictos de comunicação.

You're not as good as you think. And I'm not as bad as you think.
Bacon

Bom fim-de-confinamento, folks. O bom de toda a gente na rua, na escola, na esplanada, no concelho dos outros? Finalmente algum tempo sozinhos.