OS POSITIVOS

mais cultura melhor

ligações podres

♪ ya ain't no punk, you punk ♪
♪ you wanna talk 'bout tha real junk? ♪

O sítio punk.pt morreu: todos os seus conteúdos e contributos feitos, foram-se. Keep it simple, make it fast, forget 'bout it! Sobrarão os papers e congressos e literatura diversa encaixotada nos devidos repositórios para percurso académico. Conhecem-nos opiniões, e às vezes a academia até opina delas. Há milhares de anos atrás ensaiavam-se os primeiros (de muitos) exercícios de admoestação que ainda hoje se castigam sobre este vosso escriba, este reencaminhando-nos um comentário de um ex-mestre tornado ex-colega — vicissitudes da vida: ainda mestre, não nosso, dependendo do projecto será ou não colega —

O [ocultar-nome-aqui] precisa de melhor, não mais educação. O que é que tu achas?
in Doutores à Conversa TM

Nigga please: soubessem então que as nossas preferências nos inclinam a espremer dos "mais" os "melhores" e teriam rebolado de rir no chão connosco. Infelizmente, há muito que nos levantámos desse e passamos agora dias penosamente sentados num computador a lamentar a exiguidade do menos-para-pior.

É pacífico aos que nos leem que as ligações online tendem a morrer com o tempo, e pese a facilidade a discorrer de relações humanas com tal entrada, tratamos só da sua dimensão técnica: link rot, endereços abandonados e páginas removidas, a web não é eterna. Sabê-lo e senti-lo são coisas diferentes e assim surpreendidos com a velocidade desse decay em tão pouco tempo, de espaços onde outrora recolhemos tantos dizeres. Senhores: há uma memória colectiva a desaparecer à vossa volta, na nossa revisão às teses (des)encontrámos demasiados fantasmas.

Exemplo a BD_pt, eterna vencida de todas as coisas digitais. O AmadoraBD foi mudando de domínios com os anos, todos os anteriores ao actual vão agora parar a lado nenhum. Esse desaparecimento não é sequer o pior fim que lhe podemos desejar, tomemos Beja. Os caminhos que no passado levavam ao Festival Internacional de BD de Beja sofrem indignação com a reapropriação de domínios caducados por websites de spam/scam atrás do vosso guito. Estes casos mais extremos obrigam-nos inclusive à higienização das ligações: se os ABDs deixamos referenciados com o asterisco de "esquece lá ir", os FIBDBs obrigando-nos à remoção para precaver os mais incautos — OS POSITIVOS: don't fuck tha next guy — mas hey, ficaram os textos que deles importava reter — OS POSITIVOS, selectivos no que não esquecemos.

Várias vezes alertámos para esse esfumaçar de espaços próprios em prol de piu-pius e facegramas-cenas, no tempo de vida do Geraldes Lino fizemos até um apanhado dos blogs que se foram irremediavelmente. Citamos Lino:

Sítios, blogues e portais portugueses onde se mostra Banda Desenhada ou dela se fala, proliferam na Internet (...) Mais de uma centena de espaços, criados por internautas bedéfilos, e em cada um há algo que vale a pena: vinhetas ou pranchas de bedês clássicas ou de cariz alternativo, pormenores inusitados, textos sugestivos, informações inesperadas, pistas de leitura, críticas lúcidas, notas divulgatórias actualizadas, e variados outros aspectos.
Geraldes 2008 in Real Nós: money ♪ money ♪ money

Outras eras. Esse "valer da pena" seria subjectivo, é sempre, mas da quantidade maximizavam-se oportunidades, e se escolhemos abrir post com a anedota inicial é para recordar que mais é sempre melhor, independentemente do significado que procuram nesse. Segway óbvio para afinidades habituais em bd-quase-lá-mas-sempre-nunca-lá: Bedeteca e arquivadores profissionais. Até repositórios que indiscutivelmente possuíam valor acrescentado se foram. Citamos terceiros, igualmente recuperados dos nossos ficheiros — com louvor ao amador:

Em pleno século XXI, foi amputado à Bedeteca de Lisboa a sua página oficial. Falamos de 10 anos de actividade na www que foi produzido um enorme arquivo de mais de 10000 recortes de imprensa, 1000 notícias, várias ferramentas pedagógicas e o arquivo de programação da própria instituição.
anónimo 2017 in Real Nós: aqui há festa

Desapareceu o sítio em linha da Bedeteca mas o leitor Ricardo Baptista salvou a informações dos Dossiês feitos entre 2000 e 2009, São quase 10 anos de História e algum pensamento crítico salvos pela pirataria fandom.
anónimo 2016 in Real Nós: aqui há festa

Os nossos arquivos compilam para cima de uma década em Histórias de pirataria crítica, e corremos o risco de tornar as nossas citações autorreferenciais com o desaparecimento gradual dos locais de origem. Exemplo? Da anedota inicial fizemos séculos idos uma peça — OS POSITIVOS: don’t feed tha troll — na forma duma sondagem ao público, hélas desaparecida do nosso sítio. Fica o vídeo:

mais melhor