OS POSITIVOS

terrorismo cultural

O melhor dos terrorismos. De todos - terrorismo social, terrorismo económico, terrorismo terrorismo!, outros - o cultural é o que menos chateia mesmo se tanto incomoda. Em escalas que importam nem subimos esta a guerra cultural, fica-se no toca-e-foge duma guerrilha despachada.

Uma estátua pinchada, lavada à noite, o resto é telejornal.

Personalizaram no Padre António Vieira, mas contrapomos: generalizem, senhores. À falta de uma tabuleta identificativa com um historial completo à ponderação das nuances que lhe santificam a obra e um vândalo com vagar para a dita, sobra um padre rodeado de índios. É a colonização um tema tão descabido nesse contexto? De resto, uma de muitos: mesma estátua, padre, crianças, e pedofilia no mesmo vermelho servia igual. Se a raiz da reação está no esvaziado de razões, ponderem carregar-lhe alguma em holandês: o padre não teve peneiras para meter deus entre a espada e a parede desejando a ruindade dessa nação pérfida.

…se me buscardes amanhã, que me não haveis de achar.

No sermão, Padre Vieira ameaça deixar Deus se ele deixar o Brasil ser entregado aos holandeses: “Se determináveis dar estas mesmas terras aos piratas de Holanda, porque lhas não destes enquanto eram agrestes e inculta, senão agora? Tantos serviços vos tem feito esta gente pervertida e apóstata… Mas só digo e lembro a Vossa Majestade, Senhor, que estes mesmos que agora desfavoreceis e lançais de vós, pode ser os queirais algum dia, e que os não tenha mais.”
in "Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra as de Holanda" [wikipedia 12 jun 2020]

Se o vândalo em questão provier do norte da europa, devemos calar reação e admitir que esses têm causa para exprimir desagrado? Estranhos tempos estes, que a direita indignada não admite crítica anti-colonial contra jesuítas, mas teriam de anuir argumentos se o queixume vier em loiro com olhos azuis a propósito de possessões comerciais?

Mas singularizemos: uma injustiça ao António Vieira, clamarão, recordando as suas posições críticas da inquisição e da escravatura, de defensor dos direitos dos povos indígenas. Sem contraponto da nossa parte. Podemos então todos concordar neste um aspecto em particular: injustiça é foda?

salvação na perdição