OS POSITIVOS

o que vem

« repetimos a mesma história »

rippado do "2 Sisters" dum Matt Kindt que encontrámos num Festival BD Beja de tempos idos

Fechamos semana em revisões para adivinhar o que está escrito nas estrelas. Fácil: já vimos este filme antes. Começámos o ano justamente desse exercício, e o fatídico vinte-vinte agora a meio ficará para os livros de história como o início não só de nova década, mas também nova viragem nesta viagem que a humanidade segue aos trambolhões, apesar de nada aqui ser novo. Dos vários excertos que em janeiro passado realçámos, realçamos estes:

Elite competition makes crises worse: historically, periods of strain and "elite overpopulation" are followed by a crisis (environmental or economic), which is in turn followed by years of sociopolitical instability and violence.
in "History repeats itself. That’s bad news for the 2020s" 2 jan 2020

Reler cruzado às notícias que nos chegam: primeiro ministro em tensão com um ministro da economia por favores feitos à banca, o direito europeu em rota de colisão com soberania nacional de países membros por causa do euro, o fim desse e da união em vislumbre. A seguir, anos de sociopolitical instability and violence.

Technology to the rescue? One thing that could reverse this cycle would be a major technological breakthrough. Innovation has temporarily warded off decline in the past.
in "History repeats itself. That’s bad news for the 2020s" 2 jan 2020

Reler através do ecrã da tua escolha: os major technological breakthrough em comunicação e serviços online permitiram que populações inteiras encontrassem refúgio dentro de suas casas, temporariamente warding off o decline que no passado arrasou sociedades afectadas por pandemias semelhantes que não se puderam evitar. Palavra-chave: temporariamente. Nem todos podem ficar em casa quando lhes apetece.

Historically, some things we see today are bad signs: shrinking real wages, a growing gap between the richest and the poorest, rising numbers of wealthy and influential people who are becoming more competitive and factionalised.
in "History repeats itself. That’s bad news for the 2020s" 2 jan 2020

Dos padrões da História que se repetem, punx et comix à mistura, repetimos dessa mesma história destaques que então fizemos:

We always massacre each other on the downward side of a cycle. That is why humanity’s task in the 2020s – and much of the 21st century – is simply to survive it
in "History repeats itself. That’s bad news for the 2020s" 2 jan 2020

Na mesma peça posicionamos comix e cultura no grande esquema das coisas: "artists often possess plenty of cultural capital" & "importa ter em conta a difusão subterrânea que veicula as ideias e as faz penetrar por osmose em camadas mais amplas". Novamente estaríamos breaking character se não notássemos que nem todas as bds são consequentes com reaproveitamento de crítica alheia para pensamentos finais em bonequinhos. Artsy-fartsy - ou "letting familiarity with the property or the medium drive the discussion rather than the other way around" - quando os tempos nos pedem revoluções? Alguma instrospecção, senhores, "does it make any difference what choices we make — and are we even really making choices?"

does it matter if we just kill ourselves? these are not questions to be taken lightly
By choosing an inherently frivolous form to deliver these ideas, [...] risks sacrificing import for accessibility. The genius of Maus wasn’t that Spiegelman took the edge off of his Holocaust tale by using funny animals to tell it; it’s that he used the funny animals to draw the reader in and then emphasize and reinforce the savage inhumanity of it all.
in "The Labyrinth: An Existential Odyssey with Jean-Paul Sartre" 5 maio 2020

Às escolhas. No matter what comes.

tempos simples