OS POSITIVOS

vil-e

Romantismo + Racionalismo + Rantismo

perspectiva corrigida onde importa, se necessário vira-se o mundo

Terminamos trilogia em vilanias voltando ao ponto de partida e convencidos que percorremos uma distância generosa neste pequeno passeio. Retomamos eras emprestadas à História e citamos uma pequena peça do The Beat do semestre anterior onde se discorda que estejamos a viver uma nova era de ouro dos comics. Traduzindo a escala do "Hesiod’s five ages (Golden Age, Silver Age, Bronze Age, Heroic Age, and Iron Age)" à historiografia da civilização ocidental, Antiguidade Clásica, Idade Média, Renascença e Iluminismo:

What we are in, right now, is the Renaissance of Comics. Why? Three reasons.

  • The first parallel is the disruption of new technologies.
  • The second influence is the discovery of foreign cultures, and their influence on local cultures.
  • Rediscovery of classic literature is the third parallel.
in "We are not in a “golden age” of comics" 15 out 2019

Para desenvolvimento sigam ligações (*), "Today, modern technologies allow for the rapid transmission, discovery, and sharing of information. The internet, smart phones, cable television, laser printers and photocopiers…all disrupt the older means of distribution (book stores, mail order, newsstands, mimeographing)." encurtamos ao que se segue:

What’s next? The Age of Enlightenment. That’s when we start looking behind the image, and start formulating how things work.
in "We are not in a “golden age” of comics" 15 out 2019

E aterrados no Iluminismo, justamente onde começámos périplo com paralelos aos nossos dias, cartoons combinados a avant-garde pós-digital, Daniel Clowes pelos old school clássicos e Ilan "Peanuts-minus-Schulz" Manouach pelos limites que reconhecemos ao meio, o que esperar do futuro e o "justapor coisas diferentes e entrelaçar formas discordantes e incongruentes" para novos sentidos com exemplo – ainda e sempre – da tech a mostrar caminho.

Of course, it would be wise to throw in some Romanticism, to balance all that Rationalism.

Virámos ano com uma demo / homenagem a Moebius com um "beautiful illustrated WebGL project: tecnologias que já andam por cá há uns aninhos, com usos que vão do interessante ao nem por isso. Repetido à exaustão sem qualquer acrescento ou mesmo com penalização à leitura, a vossa atenção ao mesmo gimmick over & over again (aqui encontram adaptações de Angeli, Peanuts, Calvin & Hobbes, Jason, o "Mooncop" do Tom Gauld, e por lá encontram ainda um Tintin...) que não valem o esforço de filosofar do sentido da vida. Até que alguém dá a volta ao conceito:

Por Yi-Wen sacado daqui: clica na imagem e arrasta

Ao acrescentar os 360º (*) Vá, este também poderá fazer sentido down tha road... a solução encontrada permite – conceptualmente – manipular a segunda vista para adiantar narrativas, aquilo que entenderem por tal. Mesma tecnologia, a diferença está no que fazer com ela e às vistas curtas carregamos já afinidades a outras manipulações pelos comics com igual criatividade:

Chris Ware "Building Stories"

A obra escolhida não é inocente: Wares vai além do formato livro, meter um caixote pela banda desenhada deverá ser suficiente para calar os mais chatos ao fundo da sala. Mas partilhamos receios da incerteza resultante e continuamos a alertar para que o futuro continue a dever mais a bonecos sequenciais que aos videojogos. No mínimo, reconhecíveis de imediato como bd e firmemente assentes nessa propriedade, a nossa deixa a descontextualizar Clowes quando se refere às established forms de “both the art world and the literary world”:

I feel like comics needs its own thing. I don’t mean necessarily its own museums or its own publishers, but it feels weird to always be kind of piggybacking on these established forms.
in "'I Feel Like Comics Needs Its Own Thing': An Interview with Daniel Clowes" 14 jan 2020

Sentimos o mesmo. Até lá, vcs conhecem-nos: continuaremos o piggybacking on these established forms, sem intenções de ser kind aos quadradinhos.

e-vil