OS POSITIVOS

o futuro do comics é moderno

Ainda de revisões do ano que acaba e no seguimento aos punks-no-papel: quando algo já não é como era – ou, especificamente, como virá a ser –, a nossa retração atempada de pedras a atirarmos futuramente em comics online que dependem de mais avanços tech que este sapiens do início do século XXI está pronto a aceitar sem polémicas. Uma estranheza sem novidade na relação arte & tecnologia: que diria Shakespeare ao visitar o set de uma produção cinematográfica, plateau de parafernália diversa sem público à vista e mais equipa que actores a repetir em infinitos takes a mesma linha, provavelmente a contracenar com partes imaginárias a ser inseridas posteriormente no chroma key do fundo verde ou inteiramente inventadas por computador? A sua negação é a nossa ao vislumbrarmos o que poderá estar na sequência à arte dos novelos gráficos. Como na entrada anterior, onde fomos buscar ao início da década que agora morre exemplo para fim-de-ano, encontramos material num exercício de ano novo, o mesmo que acaba, com uma demo a novas tecnologias em jeito de homenagem a Jean Girault, aka Moebius: "Nomadic Tribe" 2019

Registámos em vídeo para arquivo mas sigam link oficial para "lerem" original. Funciona igualmente bem em desktop e telemóvel, neste último talvez até demasiado bem: algo no seu manuseamento é eerie próximo da sensação de ler bd. E a cena do voo? Inspirada no "Spirited Away" de Hayao Miyazaki e muito bem conseguida: um gimmick a fazer escola...

um beautiful illustrated WebGL project

The tale concept was about a mysterious tribe living on islands, moving from one to another every year, doing their duty.
in "Nomadic Tribe by makemepulse Wins Site of the Month February" 12 março 2019

Apesar do "Moebius inspired style" em momento algum contam o projecto como banda desenhada, esse é um adiantar exclusivamente nosso, o mais descritivo que lhe apontam fica-se por um "interactive tale", e esta:

Entirely made in 3D, the graphic design is unique because it borrows the visual codes and rules of the comic book world.
in "Nomadic Tribe by makemepulse Wins Site of the Month February" 12 março 2019

Esse empréstimo de códigos visuais (do mundo dos livros dos comics, não apenas do mundo dos comics...) é percetível e bem conseguido, não fosse esse seu sucesso não o estaríamos a usar como modelo a possibilidades por vir. Das regras suffice to say podemos barafustar com a bastardização do meio às mãos de um uso crescente de tecnologias cada vez mais complexas justamente porque a sua adoção muda as regras do jogo – pun intented. Tal como a velha guarda não reconhece um website como zine digital porque o corta-e-cola do papel e tesoura foi substituído por linguagens de programação web, também iremos a seu tempo acusar webcomics por vir de não o serem com igual fundamentalismo, pelo menos na nossa concepção estrita pessoal do que a bd online deve pode ser.

Desconfiamos de comics quando estes suportam áudio, animação e/ou interactividade mais próximos de videojogos, mesmo sabendo que os devemos considerar um meio em evolução e admitir mais ramificações além das que nos são confortáveis. Talvez o mais que possamos desejar seja reconhecer-lhe uma raiz ancestral comum, a nossa deixa ao último diálogo no último ecrã desta viagem (3:26 no vídeo):

a page has been turned - may this year bring us many exciting surprises

Metaforicamente estas páginas estão a ser viradas, concretamente, em momento algum alguma o foi, esse é um conceito herdado de outros media que um dia teremos de conseguir sacudir em ecrãs digitais de canvas infinitos (sacudir ecrãs: passa por normal, não passa? vamos pensar nisso uns segundos...) e então teremos de repensar o nosso entendimento de bd sem lhe colocar barreiras artificiais em fronteiras antigas. O que os miúdos estão por inventar ultrapassa-nos, senhores, mas eles hão-de ir onde quiserem.

abstrações