OS POSITIVOS

histórias banais de aborrecimento

Pequeno périplo pela semana que acaba para gerações futuras empenhadas no estudo da coisa. Deambulamos pela Comic Con e o seu inverso, pelos escritos de jornalistas-especialistas e do que escrevem desses, Geraldes Lino e fanzines, vários autores e do terror em geral que é a banda desenhada. Esquartejamos textos para brevidade e começamos na biblioteca que não assume nomes 17 set 2019 onde se lançam filhos da puta a "Filhos do Rato", nenhum pun intended ao próximo governo, referência ao trabalho de Luís Zhang e Fábio Veras.

Mais uma ofensa aos povos explorados das ex-colónias portuguesas e aos ex-combatentes da guerra colonial, desta vez com o apoio do Plano Nacional de Leitura.
in "Filhos da Puta" 17 set 2019

Mesmo posto "descobrimos que o PNL inclui o sr. João Miguel Lameiras", culpado de "várias actividades no mercado da BD" como " 'jornalista', lojista, argumentista de BD e tradutor" e colaborador intenso "com um dos editores deste livro". De JML a outro incontornável na mescla acima tratada, Pedro Cleto partilha parecer 18 set 2019 da Comic Con. Mashup:

A banda desenhada foi posta no 'seu' sítio. A Comic Con NÃO é um evento de BD; é um festival de Cultura Pop, de que a BD é apenas um dos componentes, certamente não o mais importante.
in "Como eu vi a Comic Con" 18 set 2019

Mas,  cof-cof. replicamos, está no nome! Anyways,

Parece estar cada vez mais virado para as marcas — que pagam… bem? - e para o esvaziamento de conteúdos. 5 autores (ou 7...) comparados com os 10 de há um ano, as suas sessões não foram especialmente concorridas, menos autores de BD levou a que houvesse menos visitantes interessados nesta área, a subida dos preços das entradas também não convidava à comparência. Como a organização reduziu o número de convites para o Artist’s Alley, foram poucos — muito poucos mesmo… - os autores que se dispuseram a pagar esse espaço. Quem quis BD viu-se reduzido a três opções: a livraria Kingpin Books e as editoras Devir e G. Floy. A redução do número de stands com BD é inegável. Como inegável, também, é a falta de condições do baptizado Geek Market. Confesso alguma desilusão com o rumo que o evento parece estar a tomar, com público, agentes e aqueles que fazem destas áreas o seu modo de vida — e não só da BD - a afastarem-se dele.
in "Como eu vi a Comic Con" 18 set 2019

Daqueles que se afastam e comparações, resenha para Artur Coelho no H-Alt com "Legendary Horror Stories" 17 set 2019 de André Oliveira, Pedro Cruz, Aragundes Bicho, Anouk Aukine, Nuno Duarte, Rita Alfaiate, Tiago Cruz, Inês Garcia, Jorge Coelho.

A Legendary Books, loja lisboeta de comics e daquelas outras cenas geek que tanto nos encantam, tem-se distinguido nas últimas edições do Motelx pelo seu pequeno mas bem recheado espaço. Algo ainda mais notável sabendo que nos últimos anos a Comic Con tem invadido o espaço temporal do Motelx, decorrendo em simultâneo. O público alvo do mega evento de Algés não será exatamente o mesmo do festival de cinema e a Legendary Books não segue o exemplo de outras lojas e editoras, ficando-se pelo S. Jorge em vez de ir tentar despachar stock em Algés. Este ano, brindaram-nos com esta antologia em formato fanzine se atira ao tema do terror [e] termina com uma sentida homenagem a um nome marcante da banda desenhada portuguesa, Geraldes Lino.
in "Legendary Horror Stories" 17 set 2019

E dos que se afastam mais além e aos quais retornamos comparações pelo final, mais uma referência incontornável da BD-em-pt: Paulo Monteiro e o festival de Beja dão de frosques 18 set 2019 e ao contrário do CC que nos trás estranjas, leva tugas para Bruxelas.

Queridos amigos, levámos até ao país do Tintin a exposição "La Bande Dessinée Portugaise Est Super! - Super-héros, science-fiction et mondes post-apocalyptiques...", organizada pela Embaixada de Portugal em Bruxelas, pelo Instituto Camões de Bruxelas e pelo Município de Beja / Bedeteca de Beja.
in "A Bedeteca De Beja Em Bruxelas: La Bande Dessinée Portugaise Est Super!" 18 set 2019

Para belga ver, com André Lima Araújo, Daniel Henriques, Daniel Maia, Eliseu Gouveia, Filipe Andrade, João Lemos, Jorge Coelho, Miguel Mendonça, Miguel Montenegro, Nuno Plati, Ricardo Tércio e Ricardo Venâncio. Curioso, da última vez que nos aborrecemos com o Festival de Beja decidimos deixar de frequentar a coisa por uns tempos porque lhe faltava alguma verve musculada em putaria militante e sobretudo BD web-ó-digital.

Consultando o pavilhão internacional tropeçamos no topo dessa página em dois eventos que não podemos deixar de registar: 1) Atelier de "webtoon" seguido de 2) Conférence "Animate Europe comic competition: How to draw politics". Hint hint!, a importar as modas de fora tragam-nos essas, parecem mais interessantes.

♪ I know a kid who thinks he's hip-hop 'cuz he buys it ♪
♪ I know a kid who thinks he's hip-hop 'cuz he never buys shit ♪

basta!, não?