OS POSITIVOS

la lotta continua

Preâmbulo

Como prometido, milkin’ that pill de cianeto: autenticidade - por terceiros.

We ought to be trying to lift the culture back up, closer to its motivating ideal. A life embracing greater self-responsibility "allows us to live (potentially) a fuller and more differentiated life".

Nas próximas instalações começamos nova série com pistas no mashup de exercício alheio, "The Ethics of Authenticity" de Charles Taylor, por "kgspencer" (*), um longo teaser que planeamos revisitar com a nossa própria interpretação -ie, outra ainda além da que agora iniciamos-, algures pela sombra do verão (**).

*) Além do seu "Seoul Philosophy Club" outros dois blogs que não podemos recomendar o suficiente: "Philosophical Notebooks" e "Discernible Inferences". **) Contem por isso alternar na vossa época balnear leituras da silly season com filosofias existenciais, seus burgueses.

The meaning of authenticity, far from excluding unconditional relationships and moral demands beyond the self, actually requires these in some form. The struggle ought not to be over authenticity, for or against it, but about it, defining its proper meaning.

Porque importa? Pelas razões que sempre animaram a este espaço, faremos a nossa parte.

There is a tension and struggle that can go either way.

On one side are all the factors, social and internal, that drag the culture of authenticity down to its most self-centered forms; on the other are the inherent thrust and requirements of this ideal. Freedom is the freedom to get better or worse, "some societies may slip badly into alienation and bureaucratic rigidity," but the world is too varied and pluralistic for the whole thing to sink in one motion.

OS POSITIVOS: a puxar na direcção contrária quando todos vão noutro sentido mas admitindo que no tal do mundo variado e plural há espaço para todas as preferências que se quiserem adiantar. Militamos no humor & depressão, outros terão as suas.

"O combate pela cultura", rippado da Chilli, acelerado para efeitos de brevidade.

Claro que "choice for the sake of choice is only valuable insofar as we choose well".

Próximo: é a auto-realização uma retirada das preocupações morais? Estará a cultura do "eu" "autêntico" rendida ao narcisismo individualista, escravizada à tecnologia e às instituições com consequente perda de liberdade política provocada pela apatia? Vocês já adivinham a resposta e a seu tempo acrescentaremos à lista de estruturas que se seguem uma espécie particular de narcisos condenados a relativismos soft: os cómicos e a sua cultura particular de self-fulfillment. Mas antes -

Individuals will become their best selves by ratifying self-control in i) social, ii) political, or iii) economic structures.

Comecemos por esses.

deslize