OS POSITIVOS

further alienating content makers

re-reprise

Os media, velhos e novos, cultura, contra essa, e banda desenhada ao fundo da crise de regime? We gotcha ya. Isabelinho desabafa ontem no seu blog:

You, my faithful 5 or 6 readers - sorry about that, I'm feeling optimistic this fine morning!, maybe I should have written 2 or 3.
in "#8" 28 nov 2018

Uma penúria de leitores que se deve mais à plataforma que elege à comunicação do que ao conteúdo desta. São modas independentes de temáticas particulares, comixianas ou outras, a preferência actual recai sobre outros modelos de informação. Queixa-se investigadora dos ditos:

Não pode passar ao lado deste debate, que tem de ser feito com alguma urgência. Temos uma crise enorme de tiragens, uma desbaratada reutilização de conteúdos digitais e a informação televisiva a deslizar para o entretimento em busca de audiências.
in " 'Marcelo apontou-nos uma bandeira, agora é preciso agitá-la de forma musculada' " 28 nov 2018

Audiências, falta dessas, entretenimento, reutilização de conteúdos digitais, crise de tiragens, agitar bandeiras? Enter Wuant - porque já falamos dele aqui - que "como a maior parte do jovens da sua idade, não deve ter tempo ou paciência para ler blogues. Ou jornais."

Um fenómeno do Youtube com uma enorme legião de fãs, que se traduz nos seus mais de três milhões de subscritores e nos milhões de visualizações, partilhas e retweets acumulados, descobriu por estes dias o artigo 13. Vai daí, o youtuber fez uso do seu poder mediático para lançar o pânico junto do seu público-alvo, pânico esse que, como seria de esperar, rapidamente se tornou viral.
in "O Wuant descobriu o artigo 13" 29 nov 2018

Pânico? Youtubers e outras patetices para canto, vez ao Presidente da República e a big picture:

O Presidente da República questionou se o Estado não tem o dever de intervir face à crise da comunicação social. Para Marcelo Rebelo de Sousa, há uma "situação de emergência" que já constitui um problema democrático e de regime.
in " 'Marcelo apontou-nos uma bandeira, agora é preciso agitá-la de forma musculada' " 28 nov 2018

Sentimos-mos vindicados agora que todos já se deram conta que é "um problema democrático e de regime", mesmo se chegam atrasados à festa: todo o historial da imprensa - na variante liberdade de opinião e meios para a tornar acessível - é acompanhado de crises de regime, daquelas que advêm quando uma casta é obrigada a ceder involuntariamente privilégios no monopólio da verdade à que lhe sucede.  Hoje calha ser a própria imprensa a lamentar-se das redes sociais que lhe tomam o lugar como fonte de informação, e essas por sua vez tomam já a iniciativa de começar o seu queixume preventivamente. Resumo do choque de agendas num parágrafo:

A polémica sobre as novas regras europeias de direitos de autor na Internet (...) ganhou novo fôlego junto dos jovens em Portugal, depois de um popular youtuber alertar sobre como podem causar “o fim da Internet”. Nos últimos meses, vários criadores da plataforma online têm feito vídeos semelhantes, depois de receberem emails do Google, que é dono do YouTube.
in "Youtuber português Wuant lança crítica viral à directiva de direitos de autor" 28 nov 2018

O resumo está no excerto acima cruzado à sua origem: da peça do Público para "desmistificar" o vídeo viral do youtuber português. Senhores... querem melhor indicador de crise mediática que os aflige quando um miúdo na web tem mais eyeballs que um jornal de referência?

E especificamente neste último ponto, o debate do copyright, onde tudo se torna ainda mais lunático. Estranhamente encontramos-mos - totalmente contra-natura - do lado das SPAs e Media (whore) Houses deste mundo nesta versão específica da literatura proposta. Já leram - como em "ler" - a dita? PT oficial aqui, o famoso 13 é um kick nos balls ao Facebook, Youtube e afins, mexe N-A-D-A com os diy indies.

Os prestadores de serviços da sociedade da informação que armazenam e facultam ao público acesso a grandes quantidades de obras ou outro material protegido carregados pelos seus utilizadores devem, em cooperação com os titulares de direitos, adotar medidas que assegurem o funcionamento dos acordos celebrados com os titulares de direitos relativos à utilização das suas obras ou outro material protegido ou que impeçam a colocação à disposição nos seus serviços de obras ou outro material protegido identificados pelos titulares de direitos através da cooperação com os prestadores de serviços.
in "Proposta de diretiva do parlamento europeu e do conselho relativa aos direitos de autor no mercado único digital" consultado em 29 nov 2018

Porque a nuance está nos termos utilizados, fica também a versão inglesa que o resto do universo anglo-cenas está a discutir, destaques nossos.

Information society service providers that store and provide to the public access to large amounts of works or other subject-matter uploaded by their users shall, in cooperation with rightholders, take measures to ensure the functioning of agreements concluded with rightholders for the use of their works or other subject-matter or to prevent the availability on their services of works or other subject-matter identified by rightholders through the cooperation with the service providers. Those measures, such as the use of effective content recognition technologies, shall be appropriate and proportionate. The service providers shall provide rightholders with adequate information on the functioning and the deployment of the measures, as well as, when relevant, adequate reporting on the recognition and use of the works and other subject-matter.
in "Proposal for a directive of the european parliament and of the council on copyright in the digital single market"
consultado em 29 nov 2018

Recordando: plataformas e fornecedores de serviços não são a internet. Salvas um simples documento de HTML num servidor com um endereço e estás na world wide web sem caires em qualquer uma das condições supramencionadas. Não és prestador de serviços, os teus utilizadores não carregam grandes quantidades de conteúdos porque não tens utilizadores, e a tecnologia apropriada e porpocional que tens de implementar (não tens!) resume-se a dizeres a ti mesmo: "porque me apetece". Portanto... fuck those guys.

E do artigo 11? Se os media quiserem receber por cada ligação que lhes façam estão-se a fechar atrás de mais uma paywall, garantindo a sua irrelevância logo quando se debatem para ter mais visibilidade. Case-in-point: nós ligamos de volta às fontes mas no dia que nos pedirem $$$ pela cortesia... u know: fuck those guys.

Os media vão-se, ou rescrevem-se para algo que valha a pena ler. Os social media pagam o preço, literal ou simbólico. Todos os zinesters com apetite à criação e comunicação regressam ao very-indie-handmade digital. Sweet.

E nessa nota, voltamos à BD e ao nicho rarefeito com que começamos. Aos teens e todos os demais,

...que usem um pouquinho do seu tempo de antena para alertar os adultos de amanhã para a necessidade de se envolverem mais na sociedade ou de escrutinar o poder político e económico. É uma seca, eu sei.
in "O Wuant descobriu o artigo 13" 29 nov 2018