OS POSITIVOS

tariff hurt: it's in tha mail

Maybe we will drop some puzzles and comics — no big deal, unless we cut one that is your favorite.

Porque gostamos de ler as folhas do chá: notícias cruzadas que apenas entre nós dão azo a futurologia crónica sobre o futuro da BD. OS POSITIVOS, no long-long-muito-long tail dos comics.

Tudo nos States, mas a) temos os Américas como petri dish de cultura popular / cultura de massas e se queres discordar b) quem pensas que massificou entre as massas os comics...?

Ainda que no último report da Publishers Weekly 14 mar 2018 não deixasse muito à imaginação:

The streak of monthly bookstore sales declines reached six in January. The January drop followed sales declines in the last five months of 2017 compared to the same period in 2016.

...gostamos de seguir do estado da indústria do papel mais próximos da origem, e as notícias que tocam à publicação de jornais e revistas não são boas. A viver a mais completa revolução de modelos de negócio e mal se conseguindo pagar, são apanhados numa guerra de tarifas com o Canadá que ameaça subir ainda mais os custos do papel, e um aumento de portes de correio que é especialmente onerosa sobre os "'flats' like magazines and catalogues":

Publishers will cut the size of the print edition and eliminate jobs as a result

The price shocks are overlapping. While printed on different stock, the magazine industry can ill afford another unplanned expense increase. And some smaller papers are delivered by mail so the postal increase will hit them directly.

What the Postal Service is asking could add 40 percent to their cost of mailing over the next five years. If that sticks, [companies] will be forced "to pursue magazine closures, circulation cuts, issue frequency reductions and conversion to digital formats."

Worse case or even next-to-worse case, they may lead to staffing and content cutbacks at strong publications and spell the end for smaller and weaker ones.
in "Paper and postal rate increases are kicking the print industry while it's down" 27 mar 2018

Um jornal e 17 mil toneladas de papel por ano para imprimir notícias que já estão desactualizadas quando saem da prensa e vão para o lixo depois de uma só leitura? Parece sustentável.

Enquanto a ideia de fazer negócio em papel começa a soar algo contraproducente, segunda notícia a merecer um levantar de pestana.

Recordam-se como o mundo foi virado ao acesso quando a Apple lançou o primeiro iPhone? Antes deste ninguém se dava ao trabalho de aceder à web no telemóvel, a imprensa vivia bem com a internet no seu lugar, e o Facebook não era mais do que uma curiosidade. Depois, o caos. A Apple tem um longo historial de revolucionar hábitos, e colocar o mundo no nosso bolso o passo exponencialmente mais dramático do seu longo percurso de disrupções.

While it wasn’t the first smartphone, it leapfrogged far beyond the competition and launched the mobile revolution. Few industries or societies have been left unchanged.
in "How Apple’s iPhone changed the world: 10 years in 10 charts" 26 jun 2017

Consideremos a comoção mais recente. Depois de algumas tentativas falhadas de entrar no mercado da educação, voltam à carga com um novo iPad, mais barato. Fora o mumbo-jumbo:

The new 9.7-inch iPad is powered by Apple's latest processor, the A10 Fusion chip. This bit of silicon makes it easier for users to run augmented reality apps, or use iOS 11's multitasking features to run multiple apps at once while still keeping things snappy. The iPads have Touch ID, a battery that runs for 10 hours, and the same storage options as the previous generation.
in "Apple Adds Pencil Support to Cheapest iPads, Debuts New Education Software" 27 mar 2018

... a particularidade que nos importa, e vos importa se se importam com comics, em digital:

The new iPads also have full support for Pencil, Apple's digital stylus.
in "Apple Adds Pencil Support to Cheapest iPads, Debuts New Education Software" 27 mar 2018

As consequências para a BD se conseguirem agarrar os miúdos com digital stylus em aparelhos baratos - particularmente num mundo onde a produção e distribuição do papel é cada vez menos uma opção - serão nada menos que outra revolução de hábitos (*).

Direito às nossas teses:

I don't see an imminent collapse of print + digital as a strategy, but the vise seems to be tightening one more time.
in "Paper and postal rate increases are kicking the print industry while it's down" 27 mar 2018

* O planeta, esse 'tá fodido either way: apenas um embargo à China pode devolver-nos a eras pré-industriais.

normies e a-normies